A primeira guerra registrada na Bíblia

Os registros bíblicos apontam a sua primeira guerra no livro de Gênesis 14:14-16, trata-se da guerra dos quatro reis contra cinco.

O ponto crucial dessa primeira guerra começa com a dissidência de cinco reinos, são eles: Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Zoar.

Todos esses reinos permaneceram por doze anos sob o julgo de Quedorlaomer, rei de Elão e principal liderança daquela região, no décimo terceiro ano, essas nações subjugadas rebelaram-se contra o seu opressor.

Quedorlaomer uniu-se a mais três nações e resistiu as investidas dos cinco reis, o desfecho dessa guerra resultou na derrota dos revoltosos e uma servidão ainda mais atroz que outrora. Nesse cenário desolador encontrava-se Ló, sobrinho de Abraão e residente na cidade de Sodoma, seus bens foram tomados e a sua própria liberdade cerceada. As notícias correram por toda a nação, um dos servos de Ló consegui escapar do julgo de seus algozes e foi ao encontro de Abraão para relatar o ocorrido.

Abraão foi tomado por uma angustia muito forte, Ló era o seu estimado sobrinho, teve a criação de um filho e era considerado como tal, sua missão de resgate precisaria ser rápida ao ponto de surpreender as quatro nações lideradas por Quedorlaomer.

A promessa de Deus para Abraão

a promessa de abraão

Abraão era um homem muito prospero, contava com uma vastidão de terras a se perder de vista, além de cabeças de gado e muitos servos, contava com o apoio de outros três importantes aliados, os irmãos amorreus; Manre, Escol e Aner.

Firme na promessa do criador dos céus e da terra descrita no livro de Gn: 12.2 “Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção. ”

Abraão tomou posse de patriarca da nação escolhida, e junto aos seus aliados investiram um ataque surpresa contra as forças de Quedorlaomer durante o anoitecer. Pegos de surpresa, as forças dos quatro reinos foram presas fáceis para a armada de Abraão, todos receberam a justiça de Deus e pereceram.

O assim patriarca designado por Deus, reencontrou o seu estimado sobrinho Ló, e devolveu a ele tudo o que havia perdido com o cativo que lhe foi imposto, as suas terras, os seus gados, prata ouro e servos, tudo foi devolvido, graças a coragem e direcionamento de Abraão.

Os cinco reis que agora estavam livres do julgo de Quedorlaomer, fizeram honrarias ao patriarca que segundo a promessa de Deus, teria a sua descendência prolongada ao longo das eras, seu nome, Abrão.

Ainda assim, deu o dizimo de todos os seus despojos e dignamente rejeitou a oferta de rei de Sodoma que lhe propôs que ele ficasse com os servos e a Abraão restaria a recompensa dos bens adquiridos e os cidadãos resgatados, mas a sua fé o direcionou ao caminho certo, pois a sua vitória se deve ao interventor divino, Deus, e não aos reis.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *