Quem foi Lilith?

Lilith é uma figura controversa, sem dúvida alguma. Falar sobre ela envolve questões religiosas e culturais que remontam a milênios, antes mesmo do surgimento do cristianismo. Se você está curioso para saber quem foi Lilith ou descobrir mais sobre a história dela, preparamos esse post para você. Boa leitura!

Várias possibilidades quando se fala em Lilith

Para começo de conversa, aqui está uma variedade de possibilidades sobre quem foi Lilith:

  • A primeira mulher de Adão;
  • A esposa do diabo;
  • Um espírito vingativo;
  • Uma mulher sedutora de cabelos longos;
  • Uma coruja que se escondia no oco de árvores durante a noite;
  • Um demônio noturno que sequestrava crianças;
  • Um espírito maléfico que seduzia homens durante a madrugada;
  • A serpente que incitou Eva a comer o fruto proibido.

Mas todas elas derivam de uma mitologia inicial que foi, pouco a pouco, incorporada por outras culturas e ganhando novas versões no imaginário popular.

Lilith na mitologia dos sumérios e suas influências

curiosidades interessantes

Foram os sumérios os primeiros a registrar a presença de Lilith em seus escritos. Mais especificamente em um poema em que ela aparecia como uma semidivindade, originada de um vulcão, e responsável por causar tanto a vida como a morte.

Esse povo ainda tratou dela em seus Exorcismos e segundo tais documentos, Lilith era um espírito maligno que gerava diversas enfermidades nos homens, principalmente relacionadas à sexualidade.

Influenciados pela mitologia suméria, os babilônios também representaram Lilith na sua própria mitologia. Nesse caso, ela era retratada como uma prostituta, uma mulher sedutora que era, na verdade, um demônio que pretendia destruir os homens.

E, finalmente, após o contato entre as culturas judaica e babilônia, a primeira importou a figura de Lilith desenvolvendo-a posteriormente e criando um imaginário todo próprio sobre ela.  

Em um primeiro momento, a mitologia judaica apresentou a visão dessa mulher como um demônio alado, de cabelos compridos, que gerava sonhos sexuais noturnos nos homens, ao mesmo tempo que causava deformidades em fetos e bebês recém-nascidos.

Mas, depois, já na Idade Média, Lilith foi associada a ideia da primeira mulher criada por Deus e esposa de Adão. E tal versão é, possivelmente, a maior causadora de curiosidade e controvérsias quando se fala dessa figura mítica.

Lilith como a primeira mulher de Adão

fatos sobre a biblia

O documento que originou tal versão da história de Lilith é denominado Alfabeto de Ben Sira. E vale destacar que foi escrito para ser uma sátira e não um documento histórico. Porém, para os que utilizam esse alfabeto como fonte, a história é a seguinte:

Deus, antes de criar Eva, a partir da costela de Adão, criou Lilith a partir do pó. Ela surgiu, portanto, ao mesmo tempo que o primeiro homem e era igual a ele em termos de sua origem material.

Por causa da igualdade que existia entre os dois, Lilith recusou-se a ficar embaixo no momento de deitar-se com Adão. Afinal, como uma semelhante ela não se submeteria em momento algum.  E junto a essa atitude rebelde, somou-se mais uma: ela fugiu do Jardim do Éden.

Deus tentou levá-la de novo para junto de seu marido. Para isso, ele selecionou três anjos: Sanvi, Sansavi e Samangelaf. Estes deveriam encontrá-la e enviá-la de novo ao Jardim. Mas eles não obtiveram sucesso, pois ela recusou-se a voltar.

Consequentemente, ela não ficou impune por seu ato e Deus a castigou. Além disso, decidiu criar uma nova mulher, Eva, diferentemente da maneira como havia criado Lilith. Assim, Deus escolheu moldar Eva a partir do próprio corpo de Adão e, por isso, ela seria confiável e submissa a seu marido.

Leia também:

A origem do Deus Baal

A primeira guerra registrada na Bíblia

Por que há quem acredite que essa versão pode ser verídica?

É difícil considerar tal história verdadeira, pois o único documento que poderia confirmá-la, a Bíblia, não fala explicitamente sobre Lilith. Mas, para diversos estudiosos há no livro sagrado pequenos vestígios que os fazem deduzir que tal fato realmente ocorreu. Por exemplo:

  • No primeiro capítulo há a referência à criação do homem e da mulher à semelhança de Deus;
  • No segundo capítulo apenas Adão aparece e somente na sequência Eva é criada;
  • Ainda no livro do Gênesis, durante a criação de Eva, reforça-se o desejo de Deus por uma mulher confiável;
  • E em determinado momento, Adão diz sobre Eva: “Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada ‘mulher’, porquanto do ‘homem’ foi extraída”.   (Gênesis 2:23)

Enfim, embora esses sejam apenas vestígios, obtidos a partir das descontinuidades da escritura sagrada, deixam margem para a dúvida e para a imaginação.

Outras considerações sobre Lilith

fatos interessantes da mitologia

A figura de Lilith não foi esquecida e ainda durante a Idade Média, a partir do século XIII d.C., também sofreu mais algumas alterações:

  • Em alguns casos ela era considerada a esposa de Samael, um anjo da morte, ou demônio;
  • Foi associada também à figura da serpente e seria ela, portanto, a responsável por incitar Eva a comer o fruto proibido e obter o conhecimento que não deveria;
  • Era a responsável pelas más formações que ocorriam em fetos ou recém-nascidos.

Nesse último exemplo, o motivo dessas deformações eram os pecados sexuais cometidos pelos próprios pais.

Enfim, depois de tudo que buscamos sobre Lilith, o que destacamos é que até hoje ela desperta bastante interesse nas pessoas e, no geral, a visão mais corrente é caracterizada pelas novas inserções ocorridas na Idade Média.

Porém, não podemos desconsiderar toda a influência anterior, ou seja, Lilith foi, e ainda é, uma construção mitológica e cultural. 

E você, já sabia da história de Lilith? Conhece mais algumas curiosidades sobre essa figura controversa? Deixe-nos um comentário! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *