É possível viajar no tempo? Descubra a resposta aqui!

Saber se é possível viajar no tempo tem sido uma das fantasias do ser humano há séculos. É uma tendência popular em filmes e literatura, inspirando obras como:

  • O Conto de Natal, do autor Charles Dickens;
  • O Planeta dos Macacos, do cineasta Charlton Heston;
  • Entre muitos outros. 

Mas o que existe mesmo de tão fascinante nisso tudo? É provável mesmo que esse tipo de viagem aconteça ou é algo quase impossível?

Neste post vamos descobrir tudo sobre esse mundo fantasioso e o que leva as pessoas a discutirem tal assunto. Confira!

É possível viajar no tempo: sim ou não?

é possivel viajar no tempo

Vamos começando com as más notícias: não é possível viajar no tempo, ao menos não da forma como se imagina. Provavelmente nós nunca poderemos regredir até a época passada para ver os egípcios junto das pirâmides. 

No último século, cientistas formaram inúmeras teorias que induziam que era possível dar um salto até o futuro. Mas seguir para o passado, no entanto, é bem mais complicado.

Albert Einstein forneceu as bases para muitas das teorias científicas atuais na investigação de viagens pelo tempo. Claro, cientistas como Galileu e Poincare que vieram mais tarde também ajudaram.

Contudo, as teorias do Einstein sobre a relatividade (Geral e Especial) mudaram dramaticamente nossa compreensão de tempo e espaço. E é por conta de tais teorias que cremos que é possível viajar no tempo.

>> Entenda o que é a teoria da relatividade de Einstein

Os buracos de minhoca

teorias de einstein

Uma das sugestões que levaram as pessoas a indagarem tanto se é possível viajar no tempo, foi o chamado buraco de minhoca. Este também se conhece por ponte Einstein-Rosen. 

Juntamente com Nathan Rosen, físico, Einstein propôs a existência do buraco de minhoca no ano de 1935. Embora nada tenha sido descoberto, muitos cientistas contribuíram com suas próprias teorias sobre como poderiam funcionar. 

Kip Thorne e Stephen Hawking são os mais famosos, provavelmente. Teórico físico da CalTech, Thorne, até auxiliou Christopher Nolan com a ciência por trás do filme Interestelar.

Então, vamos supor que o buraco de minhoca exista. No final dos anos 80, Thorne relatou que um desses poderia ser transformado em uma incrível máquina do tempo. 

Conforme a teoria geral da relatividade de Einstein, o buraco agiria como uma ponte por meio do tempo-espaço. Ele é que conectaria os dois distantes pontos com uma espécie de atalho.

Essa teoria afirma que é possível viajar no tempo por esses buracos em ambas as direções. Mas isso se for possível acelerar uma de suas bocas para (quase) a velocidade da luz. Depois, reverter o processo para colocá-lo em sua posição original. 

Enquanto isso, a outra boca permaneceria estática. Como resultado, a boca em movimento ficaria mais lenta que a boca estática, graças ao efeito da dilatação do tempo.

No entanto, no uso deste método, existem algumas limitações. A principal delas é o simples fato de que é necessárias fórmulas para criar um buraco de minhoca.

Uma vez criados, isso só nos permitirá regredir para o passado até o ponto em que o buraco foi criado. Então, certamente, nunca seremos testemunhas oculares das construções das Grandes Pirâmides no Egito.

Outra limitação é que precisaríamos de uma maneira de movimentar uma das bocas a quase a velocidade da luz. Em estudos, Thorne e os companheiros supuseram que “seres avançados eram capazes de produzir esse movimento. Fariam isso puxando a boca direita eletronicamente ou gravitacionalmente”. 

Infelizmente, nós ainda não somos seres tão avançados.

Então, é possível viajar no tempo, mas só para o futuro e só um pouco

ir para o futuro

Nos últimos anos, alguns aspectos das teorias imaginárias de Einstein foram verificados. O último e talvez o mais excitante, é o efeito, mencionado acima, chamado dilatação do tempo. 

Temos baseado a tecnologia em teoria por décadas. Mas finalmente foi provado que dilatação do tempo é um evento completamente real.

É reconhecido que o tempo passa mais devagar para um relógio que se move do que para um relógio estático. A força gravitacional também afeta as diferenças nos tempos decorridos. 

Quanto mais gravidade e velocidade, a diferença se terá. Buracos negros, como o interestelar, produziriam uma quantidade grande de dilatação, devido à sua extrema força. Foi a partir daí que se sugestionou que é possível viajar no tempo, mesmo.

Graças aos programas espaciais, já lidamos com tal efeito há muitos anos. Esta é a razão do som dos relógios na Estação Espacial Internacional ser ouvido mais lento do que da Terra. 

Considerando que a estação se move mais rápido, não sendo afetada pela gravidade, o tempo também se move mais rápido. Motivo pela qual os relógios na Terra não são precisos.

O efeito da dilatação do tempo faz com que se movam mais lentamente quanto mais perto estiver da superfície terrestre. Um melhor exemplo – mesmo não aparentando ter algo a ver com a indagação se é possível viajar no tempo – é o GPS por satélite. 

O chip GPS do seu celular funciona porque há 24 satélites ao redor do planeta que triangulam a sua localização. Fazem isso com base no tempo que leva para as informações viajarem e saírem dos dispositivos.

Entretanto, ao construir o sistema, os cientistas descobriram que os relógios atômicos nos satélites caminham mais rápido. Afinal, eles estão se movendo a 14.484 km/h na órbita. 

Sendo bem específico, eles acabam perdendo 8 microssegundos a cada dia. Parece imperceptível, mas é o suficiente para errar a localização. Por esse motivo, a tecnologia do GPS faz ajustes nesses relógios para compensar os efeitos da dilatação do tempo. 

O que é definitivamente possível (mas um pouco estranho)

curiosidades interessantes

A questão ainda é: podemos levar essa teoria ao extremo? É possível viajar no tempo para o passado também?

Como mencionamos, aparentemente não é admissível, mas não há afirmações também de que seja totalmente impossível. As teorias de Einstein de viajar no tempo afirmam que não se pode retornar ao passado, mas ainda são teorias. 

É possível que uma descoberta no futuro as confirme ou revogue. Quanto aos buracos de minhoca, não saberemos realmente como funcionam até testá-los. Por enquanto, não se tem métodos viáveis para a construção de um buraco desses no espaço.

Sendo assim, a maneira mais fácil de descobrir é possível viajar no tempo é procurando viajantes que ainda estejam entre nós. E sem a necessidade de um laboratório! E é exatamente o que muitos cientistas vêm fazendo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *