5 cidades fantasma no mundo que você precisa conhecer

Provavelmente você já ouviu falar em alguma cidade fantasma, que um dia já foi movimentada, mas que hoje não passa de um lugar abandonado e caindo aos pedaços. Não estamos falando de civilizações antigas que um dia existiram. Estamos falando de lugares que até pouco tempo atrás, tinha uma população em suas casas e ruas, mas que por vários motivos, hoje não passam de construções abandonadas.

1 – Pripyat – Ucrânia

cidade fantasma pripyat

Pripyat talvez seja a cidade fantasma mais conhecida no mundo. Neste lugar viviam quase 50 mil pessoas, quando parte da usina de Chernobyl explodiu em 1986. O desastre causou níveis tão altos de radiação, que as pessoas foram obrigadas a evacuar a cidade imediatamente.

Os moradores receberam apenas duas horas para recolher seus pertences. Foi evacuado 43.000 pessoas, em um tempo de 3,5 horas, por 1100 ônibus. As pessoas foram informadas de que seria apenas por três dias. No entanto, mais de 30 anos se passaram, e a cidade de Pripyat ainda não é adequada para a vida.

Hoje os níveis de radiação finalmente baixaram o suficiente para os cientistas marcarem a área como segura para visitar. Com isso as pessoas podem explorar a cidade assustadora e suas muitas escolas, hospitais, lojas, academias, cinemas, fábricas e até mesmo o parque de diversões.

2 – Varosha – Chipre

curiosidades sobre o mundo

No passado Varosha foi uma cidade resort bastante promissora. Nos dias de hoje ainda é possível encontrar cadeiras nas praias e paredes de construções inacabadas. A razão para não existir mais ninguém por lá, foi o conflito territorial entre Chipre e os turcos que tomaram Varosha em 1974. Na época, todos os moradores abandonaram suas casas, na esperança de voltar em breve. Mas, a cidade foi cercada por arame pelo exército turco, fazendo com que os moradores não retornassem aos seus antigos lares.

No ano de 2004 a ONU propôs a devolução da cidade para o Chipre, em um acordo aceito pelos turcos. No entanto, os antigos moradores da cidade de Varocha recusaram-se a voltar para cidade. Por esse motivo, Varosha parece congelada no tempo: nas vitrines das lojas, as coisas ainda estão na amostra desde 1974, e os carros velhos enferrujam nas concessionárias. Árvores crescem através de rachaduras no asfalto e tartarugas descansam em praias vazias.

3 – Humberstone – Chile

cidades fantasmas no chile

Humberstone é uma antiga cidade no deserto de Atacama, a poucas centenas de quilômetros das fronteiras do Chile com o Peru e a Bolívia. No início do século XX, Humberstone era a maior cidade do deserto chileno de Atacama, onde os moradores trabalhavam na mineração. No ano de 1875 o engenheiro químico James Humberstone chegou até o lugar, onde fez uma fortuna na extração de salitre e, graças a ele a cidade tem esse nome.

O salitre era chamado de “ouro branco” e era tão importante para os chilenos, que eles estavam dispostos a entrar em uma guerra. Quase todo o salitre do mundo vinha desse local. Em especial os europeus compravam grandes quantidades do produto, que era usado como fertilizantes. Na década de 1870, o território desta cidade pertencia ao Peru, e algumas outras cidades onde o salitre era extraído eram bolivianas, muito embora as empresas chilenas quem operavam nas áreas.

lugares abandonados

No ano de 1878, a Bolívia aumentou os impostos sobre o produto extraído e sua exportação, fazendo com que o governo chileno enviasse tropas para a região. Em poucos dias os dois países entraram em guerra pelo território, que durou quatro anos e custou vidas de milhares de pessoas. Os chilenos saíram vitoriosos e anexaram Humberstone ao seu território.

Anos mais tarde, no início da primeira guerra mundial, a Inglaterra bloqueou as exportações de salitre para a Alemanha, fazendo com que os alemães buscassem um novo tipo de fertilizante. Com a descoberta dos alemães, de repente ninguém mais se interessava pelo nitrato chileno. Fazendo a indústria de mineração da região do conflito entrar em colapso.

Nos dias de hoje, Humberstone é uma cidade fantasma, ninguém vive ou trabalha mais nesse lugar. O que resta, são apenas as sombras de uma cidade que um dia foi muito promissora e foi palco de uma disputa.

Leia também:
>> a estrada mais perigosa do mundo
>> 10 curiosidades da muralha da China

4 – Ilha Hashima – Japão

hashima filme

Cerca de nove quilômetros da cidade de Nagasaki fica a ilha abandonada de Hashima, sem nenhum habitante, apenas mergulhada em sua história. Entre 1887 e 1974, a cidade era o principal ponto de apoio para a mineração de carvão submarino. Essa ilha japonesa esconde terríveis histórias de pessoas que viveram dias difíceis nesse lugar.

O carvão foi descoberto pela primeira vez na ilha no início de 1800. Em uma tentativa de alcançar as potências coloniais ocidentais, o Japão iniciou um período de rápido desenvolvimento industrial, usando a ilha de Hashima como um empreendimento.

hashima island

Durante a Segunda Guerra Mundial, a história da ilha ficou mais escura, à medida que as políticas japonesas de mobilização em tempo de guerra exploravam civis coreanos e prisioneiros de guerra chineses, como trabalhadores forçados. Estima-se que mais de mil trabalhadores morreram na ilha entre os anos 1930 e o fim da guerra, como resultado de condições de trabalho inseguras, desnutrição e exaustão.

Quando as reservas de carvão começaram a esgotar e o petróleo começou a substituir o carvão, as minas fecharam e as pessoas foram embora. Depois disso, a Ilha Hashima foi esquecida pelas pessoas, passando a ser mais uma cidade fantasma.

5 – Craco – Itália

craco italia abandonado

Craco é uma cidade fantasma, localizada na região da Basilicata, província de Matera, na Itália. É um dos lugares mais fabulosos abandonados do mundo, e é frequentemente usado como local de filmagens para longas-metragens e fotografia de moda. Craco fica em uma área de formação rochosa, acima das colinas circundantes, com sua arquitetura perfeitamente construída nos montes.

A cidade foi fundada por volta de 540 aC pelos gregos, que haviam se mudado para o interior da costa de Basilicata. Naquela época, Craco era chamado de Montedoro. Túmulos foram encontrados datando do século 8 aC, sugerindo que o assentamento original remonta a essa época.

craco resiste

Em 1656, uma praga atingiu centenas de pessoas, matando e reduzindo o número de famílias na cidade. Em 1799, com a proclamação da República Partenopéia, os habitantes da cidade derrubaram o sistema feudal dos Bourbon. A revolução republicana durou poucos meses e Craco retornou sob a monarquia dos Bourbon. Posteriormente, a cidade caiu sob o controle da ocupação napoleônica.

Em 1963, Craco começou a ser evacuado devido a um deslizamento de terra e os habitantes se mudaram para outro lugar. Em 1972, uma inundação agravou ainda mais a situação, impedindo um possível repovoamento do lugar. Após um terremoto de 1980, Craco foi completamente abandonada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *